Atmosfera mais leve é trunfo para FaZe Clan vencer a Pro League

Atmosfera mais leve é trunfo para FaZe Clan vencer a Pro League
A FaZe Clan confirmou seu favoritismo na estreia da Pro League (Foto: Caio Borges)

Chegada de Yoona deu novo ar para equipe brasileira, que evoluiu no controle emocional

Por Luiz Queiroga


A vitória da FaZe Clan na estreia da fase final da Pro League neste sábado (17) reforçou como a equipe brasileira evoluiu no aspecto emocional na disputa de torneios internacionais.

Predominante no cenário nacional, a FaZe nunca conseguiu elevar essa consolidação para um patamar mundial. Neste ano, o maior momento de fragilidade emocional aconteceu no Six Invitational, em fevereiro, quando a equipe sucumbiu para o próprio nervosismo e foi eliminada pela Evil Geniuses.

Na sétima temporada da Pro League, em maio, a equipe melhorou nesse quesito, mesmo sendo eliminada na estreia para a Millenium.

Acontece que no Six Major, o time voltou a ter problemas e foi eliminada por conta do psicológico abalado - com direito a desabafos nas redes sociais que quebraram a internet.

A FaZe Clan, entretanto, respira novos ares - e o triunfo por 2 a 1 em cima da Mock-It deu claros sinais disso por dois motivos, a começar pela...

Atmosfera mais leve

A chegada de João "Yoona" Gabriel foi a química necessária para que o potencial da line-up fosse efetivamente aproveitado. A atmosfera é totalmente outra.

"A gente não tem medo de errar", comentou Gabriel "Cameram4n" Hespanhol. A resposta só evidencia a boa atmosfera que a line-up vive com a nova formação.

"A galera está mais unida, com uma energia muito mais legal. O erro é normal de acontecer. É dar sempre o máximo para ajustar esses erros."

O discurso é o mesmo para o restante da equipe, como reforça as palavras do capitão Rafael "mav" Freitas. "A gente apenas confiou um no outro. Ninguém botou o time para baixo ou ficou reclamando. Estávamos focados sempre em como ganhar o próximo round. Sabemos que podemos chegar à final."

Amigo pessoal de Yoona há quase dez anos, mav foi fundamental para a contratação do suporte. "A gente sabia que o psicológico iria com certeza melhorar. O Yoona, além de ser um player muito versátil, ele sempre está puxando a gente pra cima - e nunca para baixo."

Questionado pela reportagem, Yoona comentou sobre a principal virtude da FaZe Clan, que é o...

Controle emocional

O primeiro mapa, disputado em Oregon, fugiu do roteiro esperado. Trata-se de um território que todas as equipes brasileiras sabem jogar, mas a Mock-it calou a Jeunesse Arena quando virou o mapa com 4 a 1 nas parcias e ainda chamou o match point logo na rodada seguinte.

Yoona contou o que se passou na cabeça do time naquele momento extremamente delicado. "A gente manteve a calma. A gente sabia que era capaz. O psicológico é a melhor arma."

E de fato, essa arma foi utilizada de forma muito eficiente - e calculada. Em conversa com a reportagem, João "HSnamuringa" Deam confirmou que o time estava tranquilo para atuar como atacante.

O problema é que a primeira metade do mapa realmente fugiu do esperado - HSnamuringa se viu em duas situações de clutch, mas não levou. Mas nada que abalasse os planos da FaZe Clan, que conseguiu a virada para 7 a 5, como explicou mav.

"Querendo ou não sempre passa na cabeça do jogador que o que treinamos não está dando certo. Mas também sabíamos que todos os rounds tinham sido muito apertados, não foi uma coisa definitiva. Poderíamos ter levado algum. Foi sequência decidida nos clutches."

Falando em clutch, a FaZe Clan viveu outro momento delicado na partida. No mapa de desempate, em Banco, os brasileiros abriram dois pontos de vantagem, mas viram a Mock-It empatar. No quinto round, o time europeu por pouco não virou as parciais.

A FaZe contou com grande jogada de Cameram4n, que, sozinho, não permitiu que os europeus tomassem o bom momento da partida. "Foi um round decisivo. Aquele clutch conseguiu motivar a gente, porque partimos pra defesa muito mais calmos", relembrou Yoona.

Nova line-up está bem mais solta - dentro e fora de jogo (Foto: Gui Caielli)

E a jogada não contou apenas com controle emocional. Muita informação se passou por ali para que Camera conseguisse pontuar para o time, como ele próprio revelou para a reportagem.

"Primeiro que a gente errou taticamente aquele round porque não conseguimos abrir o alçapão usado para o plant. Dali em diante, a rodada foi meio caótica, mas a gente tinha alguns drones bem posicionados - o que me ajudou a pegar o Mute ali. Conseguimos trabalhar as smokes bem tarde no round, o que me deixou bem feliz - e foi algo improvisado."

"O Astro me deu a call para plantar na porta, e consegui enquanto a smoke ainda estava rolando. Depois do plant, sobrou apenas eu, mas como tinha um drone por ali, conseguiram me informar sobre o que estava acontecendo e fiquei bem seguro marcando de cima."

Principal responsável pelo novo ambiente vivido pela FaZe Clan, Yoona fez questão de ressaltar quem realmente faz a diferença para a equipe. "A torcida ajuda bastante. A gente sente a vibração da torcida. É um ponto fortíssimo."

Para a partida diante dos japoneses da NORA-RENGO, nesse domingo (18), esse apoio será fundamental para que o time siga firme na briga pelo primeiro título mundial.

 

Luiz Queiroga é jornalista da ESL BRASIL. Siga-o no Twitter!

Fechar Menu